Notícias

NBR 15575 - Norma Brasileira de Desempenho de Edifícios - ENTRA EM VIGOR

29/04/2011

Entrou em vigor, no Brasil, a NBR 15575, conhecida como a norma brasileira de desempenho de edifícios. Ela estabelece o desempenho mínimo obrigatório para alguns sistemas, ao longo da vida útil de um empreendimento. A principal característica da NBR 15575 – Edifícios habitacionais de até cinco pavimentos – Desempenho é que ela foi concebida com base no conceito de desempenho, diferentemente do arcabouço normativo brasileiro, que está baseado em prescrição. A mudança é que a abordagem de desempenho está preocupada com os resultados que um edifício ou sistema deve atingir quando em utilização (comportamento em uso) e não com a forma com que foi construído. A pretensão da Norma de Desempenho foi traduzir tecnicamente as necessidades dos usuários brasileiros de imóveis, a forma de estabelecimento do desempenho é comum e internacionalmente pensada por meio da definição de requisitos (qualitativos), critérios (quantitativos ou premissas) e métodos de avaliação, os quais sempre permitem a mensuração clara do seu cumprimento. Visam de um lado incentivar e balizar o desenvolvimento tecnológico e, de outro, orientar a avaliação da eficiência técnica e econômica das inovações tecnológicas. Requisitos e critérios particularmente aplicáveis a determinado sistema são tratados separadamente em cada parte desta norma, seguem elas respectivamente:

Parte 1: Requisitos gerais
Parte 2: Requisitos para os sistemas estruturais
Parte 3: Requisitos para os sistemas de pisos internos
Parte 4: Requisitos para os sistemas de vedações verticais internas e externas
Parte 5: Requisitos para os sistemas de coberturas
Parte 6: Requisitos para os sistemas hidrossanitários

As regras também se aplicam a edificações com mais de cinco pavimentos, em todos os requisitos que não dependam diretamente da altura, por exemplo, conforto térmico e acústico. Esta norma não se aplica a obras já concluídas, ou em andamento, até a data da entrada em vigor, nem a projetos protocolados nos órgãos competentes até seis meses após 12 de maio de 2010. NBR 15575-3: Requisitos para os Sistemas de Pisos Internos Garanta qualidade ao seu projeto Introdução Esta parte da Norma trata dos requisitos para o desempenho do conjunto que forma o piso incluindo acabamentos que estão sujeitos a desgastes, e os seus substratos que podem gerar ruídos em edificações multi-pavimentos. O desempenho dos pisos é um requisito que cada vez mais tem atraído a atenção da comunidade técnica relacionada à produção do ambiente construído. Objetivo Estabelecer os requisitos e critérios de desempenho aplicáveis aos pisos internos de um edifício habitacional, independentemente da limitação do número de pavimentos.Abordagem Exploram conceitos que muitas vezes não são considerados em normas prescritivas específicas, abordando generalidades, requisitos, critérios, níveis de desempenho e método de avaliação para cada sistema construtivo. Exigências do usuário Normas de desempenho são estabelecidas buscando atender as exigências do usuário, sendo traduzidas em requisitos e critérios. 

As exigências são de caráter humano, expressas de forma qualitativa em relação ao comportamento no uso da edificação habitacional. Com o advento desta NBR, o usuário é beneficiado em poder buscar os seus direitos aliado ao código de defesa do consumidor, exigindo o desempenho previsto em norma. Desempenho acústicoGeneralidades O piso do edifício habitacional é o elemento responsável por proporcionar isolamento acústico, em função do uso, quer entre unidades distintas, quer entre dependências de uma mesma unidade quando destinadas ao repouso noturno, ao lazer doméstico e ao trabalho intelectual. São considerados o isolamento de ruído de impacto no piso (passos, queda de objetos, móveis sendo arrastados etc) e o isolamento de ruído aéreo (conversa, TV etc). Os níveis de ruído de fundo para o conforto acústico são determinados a partir do uso a que se destina a dependência da edificação, em função de ações externas regulares e normais, isto é, que não infrinjam a legislação. O projeto para isolamento acústico de um piso considera as propriedades acústicas dos materiais, componentes e elementos construtivos, de modo a assegurar o conforto acústico, em termos dos níveis de ruídos de fundo transmitidos via aérea e estrutural, bem como privacidade acústica assegurando a ininteligibilidade da comunicação verbal em ambientes adjacentes. Requisito para ruído de impacto em piso Atenuar a passagem de som, entre unidades habitacionais, resultante de ruídos de impacto (passos, queda de objetos, móveis sendo arrastados entre outros). 

 

Critério e níveis de desempenho relacionados com ensaios:

A unidade habitacional deve apresentar o Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado L’nT,w, proporcionado pelo entrepiso conforme o nível de desempenho indicado na tabela abaixo:
Elemento L’nT,w [dB] Nível de Desempenho Laje, ou outro elemento portante, com ou sem contrapiso, sem tratamento acústico < 80 M 
Laje, ou outro elemento portante, com ou sem contrapiso, com tratamento acústico 55 a 65 I < 55 S 
Legenda: (M) mínimo - (I) intermediário - (S) superior 

A manta MaxxiManta Piso NW da MVM Revestimentos aplicada em uma Laje de 12cm e contrapiso de 4,5cm apresenta um nível de isolamento de 54 dB, já atendendo o nível superior da norma. Consulte-nos para a especificação de um produto com maior isolamento (Os níveis M, I e S estão atrelados a proposta técnica/comercial do empreendimento (baixo padrão, médio padrão e alto padrão). O nível S proporciona um maior conforto acústico, entre todos os níveis. 

Este critério tem por base o denominado Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado L’nT,w, ou seja, é o número único do isolamento de ruído de impacto em edificações, derivado dos valores em bandas de oitava do Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado L’nT , de acordo com o procedimento especificado na Norma ISO 717-2. O valor mínimo exigido (L’nT,w < 80dB) corresponde a valores representativos de ensaios realizados em pisos de concreto maciço, com espessura de 10 cm a 12 cm, sem acabamento.

Método de avaliação As medições devem ser executadas com portas e janelas dos ambientes fechadas, e em todos os entrepisos, devendo-se selecionar um dos seguintes métodos para a determinação dos valores do Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado, L’nT: a) Método descrito na Norma ISO 140-7, obtendo-se valores em bandas de terço de oitava entre 100 e 3150 Hz ou em bandas de oitava entre 125 e 2000 Hz; b) Método simplificado descrito na norma ISO/DIS 10052, obtendo-se valores em bandas de oitava entre 125 e 2000 Hz; c) Procedimento descrito na norma ISO 717-2, utilizado para a determinação do valor do Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado Ponderado, L’nT,w, entre os ambientes a partir do conjunto de valores de Nível de Pressão Sonora de Impacto Padronizado, L’nT. Nível de desempenho Onível mínimo de aceitação é o M (denominado mínimo), ou seja, apresenta índices menores do que aqueles indicados na tabela, quando ensaiado conforme as normas descritas no Método de Avaliação. Apercepção de ruído no nível M indica que passos ouvem-se com muita facilidade e móveis arrastados ouvem-se perfeitamente, ou seja, baixo conforto acústico.

MVM Revestimentos de cara nova

08/10/2010

Após mudança de Identidade Visual, a MVM Revestimentos tem o prazer de anunciar que o novo site está no ar. Agora com muito mais informações sobre a empresa e os nossos produtos, você tem a oportunidade de baixar o Manual de Instalação dos diversos produtos, além de poder acompanhar as novidades via Twitter. 

Fonte:
Sede da MVM em Eldorado do Sul
Política Ambiental MVM Conheça o Projeto
Fone 51 3371 1047 Fax 51 3371 1017 Email comercial@mvmrevestimentos.com.br entre em contato
Endereço

Av das industrias nº 550

Bairro Itai, Zona Industrial

Eldorado do Sul/RS - 92.990-000

veja o mapa
Newsletter
© 2018 Todos os direitos reservados.